Segunda, 27 de Setembro de 2021
83 991878740
Política CRISE POLÍTICA

'Impeachment não é solução para crise', diz Michel Temer

Com a experiência de ex-presidente, emedebista considera que o processo convulsionaria o país.

14/09/2021 11h30
Por: Redação
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ex-presidente Michel Temer (MDB) é enfático ao afirmar que o impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido) não traria a solução para a crise institucional entre o presidente com os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele destacou que seria um processo doloroso e contraproducente, com a possibilidade de se encerrar perto das eleições do próximo ano. Isso deixaria o ambiente ainda mais convulsionado, sem contar que promoveria a paralisia completa do país.

"Todos devem aproveitar esse momento, de certa pacificação, para combater em definitivo a pandemia e recuperar a economia", recomendou, com a experiência de quem quase viu avançar um processo de impeachment contra ele.

Autor do texto da Declaração à Nação, que serviu para apaziguar os ânimos depois dos inflamados discursos de Bolsonaro insuflando a militância contra os ministros do STF, no 7 de Setembro, Temer acredita na moderação do presidente de agora em diante. Para o ex-presidente, o momento de equilíbrio deve ser aproveitado para levar adiante as reformas administrativa e tributária - que, como fez questão de lembrar, começou no governo dele.

"Com esse documento, os acampamentos de caminhoneiros se desmobilizaram em Brasília. O fato é que, convenhamos, se não houvesse a 'Declaração à Nação' dia 9, não sei o que aconteceria no dia seguinte", salientou, certo de que se evitou algum evento de alta gravidade e que poderia ter o condão de convulsionar mais o país.

Temer afastou, ainda, qualquer hipótese de se ter fechado algum acordo entre Bolsonaro e o ministro Alexandre de Moraes, versão que tem circulado nos grupos bolsonaristas. De acordo com o ex-presidente, ele jamais proporia isso ao magistrado por saber que a ideia seria imediatamente rechaçada.

Sobre uma possível candidatura do MDB, partido ao qual ainda é ligado, ao Palácio do Planalto, Temer não acredita nessa possibilidade - embora elogie a competência, a capacidade de trabalho e de articulação da pré-candidata da legenda, a senadora Simone Tebet (MS).

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias