Sexta, 12 de Julho de 2024 10:56
83993941578
Cotidiano LUTO NA COMUNICAÇÃO

Bolinha: O eco eterno do rádio paraibano - Seis anos de saudade e legado

Seu legado vai além do microfone.

09/07/2024 11h52 Atualizada há 3 dias
Por: Redação
Foto: Louise Tonet
Foto: Louise Tonet

Hoje, 9 de julho de 2024, é um dia de lembranças e celebração na Paraíba. Há exatos seis anos, João Pessoa e todo o estado se despediam de um mestre da comunicação: Airton José, carinhosamente conhecido como "Bolinha". Sua partida deixou um vazio no coração dos paraibanos, mas seu legado ressoa até hoje nos corredores das rádios e nos lares onde suas palavras ecoaram por décadas.

Bolinha foi mais do que um radialista; ele foi um ícone. Durante mais de cinquenta anos dedicados ao rádio, sendo quase cinco décadas à frente do lendário "Big Show do Bolinha" na Rádio Tabajara, ele conquistou o carinho e a admiração de uma legião de ouvintes. Seu vozeirão único era apenas uma das marcas que o destacavam, ao lado de seu jeito leve, seu profissionalismo exemplar e um humor que sabia tocar o coração de quem o escutava.

A história de Bolinha se entrelaça com a própria história do rádio na Paraíba. Quando as primeiras notas de "Flor de Manacá", de Lafayette, preenchiam o ar, Bolinha enchia os lares com a magia de suas palavras, cativando não apenas pela informação precisa, mas pela maneira como ele conseguia criar uma conexão tão próxima com seu público.

Com o mesmo brilho e dedicação, ele se destacou na locução de portas de lojas de tecidos (no início da jornada) e desempenhou papel crucial no cerimonial de eventos governamentais e do judiciário, demonstrando sua versatilidade e compromisso com a comunicação. No entretenimento, ao longo de sua carreira, trouxe grandes artistas para se apresentarem no estado, proporcionando oportunidades tanto no picadeiro dos circos quanto no microfone mais influente do rádio paraibano.

Seu legado vai além do microfone. Seus filhos, em especial Kleber Dumont e Kátia Dumont, seguiram seus passos no jornalismo e no rádio, honrando não só o nome da família, mas também o compromisso com a qualidade e a ética que Bolinha sempre defendeu.

Seis anos se passaram desde que Bolinha nos deixou, mas seu impacto perdura. Sua competência e sua generosidade como comunicador são lembradas por todos que tiveram o privilégio de ouvi-lo. No coração dos paraibanos, ele permanece como uma referência de excelência e devoção à arte de comunicar.

Hoje, enquanto recordamos com saudade, também celebramos a vida e o legado de Airton José da Silva, o eterno Bolinha. Seu talento singular e sua presença inesquecível continuarão a inspirar gerações no rádio paraibano e além, porque, como diz um de seus fãs mais ardorosos, Montgomery Vasconcelos: “Um igual a ele nunca mais será encontrado, nem hoje, nem daqui a mil anos”.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias