Segunda, 24 de Junho de 2024 06:34
83993941578
Cotidiano SÃO JOÃO

Polícia rebate Prefeitura e diz que alertou organização sobre riscos no Parque do Povo

O Comando da PM afirmou que a Prefeitura tentou “não assumir sua responsabilidade pelo episódio”.

10/06/2024 06h02
Por: Redação Fonte: com informações do MaisPB
Foto: reprodução
Foto: reprodução

O Comando Geral da Polícia Militar da Paraíba divulgou uma nota, na tarde deste domingo (9), para rebater as críticas feitas pela Prefeitura de Campina Grande sobre as acusações feitas ao Estado após os registros de tumulto e invasão no Parque do Povo na noite desse sábado (08), durante os shows de Felipe Amorin e Nattan. 

O Comando da PM afirmou que a Prefeitura tentou “não assumir sua responsabilidade pelo episódio” e alegou ter avisado com antecedência da possibilidade de transtornos devido ao aumento da capacidade do público no Quartel General do Forró.

A ampliação da quantidade máxima de público para 73 mil e 600 pessoas foi anunciada pelo prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (União Brasil). ainda em maio, antes da realização da festa, após a conclusão das obras que ligaram o Parque do Povo ao Parque Evaldo Cruz.

Acontece que, na noite desse sábado (8), por volta das 22h, os portões do Parque do Povo foram fechados por atingir a capacidade máxima de público dentro do Quartel General do Forró. Inconformado, o público que estava fora do evento derrubou os cordões de isolamentos feitos pela segurança da organizadora do evento e invadiu a festa.

Durante o tumulto de invasão houve confusão. Pessoas caíram no chão e foram pisoteadas. O episódio repercutiu de forma negativa nas redes sociais e a gestão municipal publicou uma nota tentando se eximir da culpa.

Após a fala da prefeitura, o estado, através do Comando da Polícia Militar, também se manifestou sobre o caso e contrariou a versão do executivo municipal.

Veja a nota do Estado na íntegra: 

O Comando da Polícia Militar da Paraíba estranha a forma como a Prefeitura de Campina Grande tenta não assumir sua responsabilidade pelo episódio que aconteceu na noite de sábado (8), no Parque do Povo, querendo jogar a culpa para os policiais militares, civis, bombeiros militares e guardas municipais. Desde o começo do planejamento da festa, os órgãos de segurança pública já tinham alertado sobre o principal problema para a realização da festa: o Parque do Povo atual já não comporta mais a grande multidão que seus organizadores querem colocar nas dependências do Parque do Povo.

Os policiais militares tiveram que se posicionar nos dez portões de entrada, a partir das 21h, para tentar impedir a entrada sem controle da multidão fervorosa que queria prestigiar as atrações da festa.

Tudo já tinha sido alertado à prefeitura e aos organizadores da festa. Inclusive fica novo alerta para o próximo fim de semana, que tem atrações aguardadas há anos e o cenário fica mais preocupante para a segurança pública, pois tem bloco que, contrariando as recomendações da segurança pública, resolveu encerrar o percurso na porta do Parque do Povo, deixando novamente para a Polícia Militar a solução daquilo que pode ter sido evitado com antecedência, planejamento e responsabilidade.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias